Como é a rotina de um educador voluntário no Programa Formare?

Do planejamento à adequação com o mundo virtual, a rotina dos profissionais mudaram durante a pandemia

 

Acordar cedo, rever o plano de aula do dia e preparar-se para repassar o conhecimento que adquiriu ao longo de anos de estudo e prática a jovens que estão iniciando a carreira. Essa é a rotina básica de um educador voluntário do Programa Formare. Todos os anos, são formados de cerca de 4 mil profissionais para atuarem como educadores no Programa. Investir nessa formação traz uma experiência completa para os alunos do Formare, que aprendem no dia a dia com profissionais super capacitados das nossas empresas parceiras.

Olivia Mariana Alonso é supervisora de Controle de Estoque e Faturamento no Centro de Distribuição (CD) da Santos Brasil, em São Bernardo do Campo (SP). Porém, há quatro anos, ela percorre mais de 68 km para dar aula no Formare da unidade Tecon, em Guarujá, referência na operação portuária de contêineres do país. “Agradeço muito o apoio da minha gerência para tornar isso possível”, diz.

A iniciativa de ser educadora voluntária veio de Olivia, que procurou a área de Sustentabilidade da Santos Brasil. A partir do primeiro contato, Viviane Martins, coordenadora do Formare na empresa, iniciou o processo de formação de Olivia, com os materiais e cursos disponibilizados pela Fundação Iochpe no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). Após a preparação, a profissional se tornou apta a integrar o time de educadores da empresa.

Formada em Administração, Olivia ministra as aulas de Logística, área que se especializou no MBA. “O que me levou a ser voluntária foi a vontade de passar meu conhecimento e vivência na área para outras pessoas. A troca de experiência nas aulas não é ganho somente para os alunos”, afirma. A educadora está acompanhando a sua quarta turma do Formare na Santos Brasil. Agora, durante a pandemia do novo coronavírus, a sua rotina mudou um pouco. A profissional prepara a aula durante a manhã e leciona à tarde de forma on-line, diretamente da unidade de São Bernardo do Campo. “Converso muito com os alunos sobre o dia a dia do CD, tento passar todos os processos para que eles consigam entender e fazer parte da equipe”, relata.

Os educadores voluntários do Programa Formare desenvolvem competências atrativas para o mercado de trabalho. Em entrevista à revista Exame, o presidente da Fundação Iochpe, Claudio Anjos, destacou dez habilidades que os profissionais desenvolvem por meio do Formare, como liderança e comunicação.

 

Confira mais fotos de Olivia com as turmas da Santos Brasil em 2016 e 2017:

Quer ser um Jovem Formare?