De aluno a educador voluntário: Paulo Tavares vivenciou os dois lados do Programa Formare

 

Cursar o Programa Formare, dentro de uma das empresas parceiras, impacta positivamente a vida de muitas pessoas. Agora imagina poder voltar ao programa, anos depois, como educador voluntário? Essa é a história do engenheiro Paulo Tavares, que começou a carreira ainda na adolescência e conquistou muitos sonhos por meio do Formare.

Aos 16 anos, trabalhou como Guarda Mirim (programa correspondente ao Jovem Aprendiz atualmente), em uma pequena empresa em Amparo, no estado de São Paulo. Na época, teve a oportunidade de ingressar no Programa Formare da Marelli. “Para um jovem de família de baixa renda, foi uma decisão difícil. Mas eu estava confiante e acreditava no programa”, lembra.

Paulo deixou o seu emprego inicial e entrou no Formare, onde se formou em “Operador de Manufatura de Produtos em Metal e Serviços”, em 2008. Após o programa, cursou técnico Mecânico Industrial e graduou em Engenharia de Controle e Automação. “Descobri essa profissão ao longo do Programa Formare, principalmente nas aulas práticas e nos estágios nos departamentos da empresa”, conta.

Ainda na Marelli, Paulo teve a oportunidade de ser educador voluntário na disciplina “Desenho Técnico e Medição Mecânica”. “Uma experiência incrível, senti na pele a grande responsabilidade que um educador carrega, por se tornar um modelo para os jovens”, relata.

Hoje, Paulo trabalha em outra empresa parceira do Formare, a Mahle. Segundo ele, o Programa abriu a sua mente e foi responsável por sua mudança de vida. “Independente das condições que você vive, só depende de você mesmo a mudança para um futuro melhor”, afirma.

Confira o depoimento em vídeo de Paulo Tavares: