Como planejar ações para engajar alunos nas aulas remotas?

Programa Formare realizou um webinar, na manhã desta quarta-feira (23), com convidados especiais para debater o tema

Escolas e universidades com cursos presenciais precisaram se adequar ao mundo virtual para continuar o ano letivo, devido à pandemia do novo coronavírus. E com o Programa Formare não foi diferente: as empresas parceiras adotaram plataformas e aplicativos para dar andamento aos cursos. 

Os educadores voluntários (EVs) também precisaram se adaptar e planejar aulas diferentes para reter a atenção dos jovens. Emilin Francini da Silva, analista de protótipo e EV de Relacionamento e Cidadania e Tecnologia de Montagem e Mecânica na Schaeffler, ministrava aulas presenciais antes da pandemia. “A maior dificuldade está sendo não ter o calor humano”, conta. Devido à distância, Emilin começou a utilizar o PowerPoint, ferramenta de apresentação, nas aulas. Nos encontros presenciais, a EV não utilizava o recurso e dava preferência a dinâmicas e debates em sala de aula. “Tive que me adaptar ao novo conceito de aula mudando um pouco a didática”, relata.

Já a educadora Mayara Alves dos Reis, que atua na área de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da Santos Brasil, teve a sua primeira experiência com o voluntariado durante o isolamento social. A EV, que ministra a aula de Comunicação Oral e Escrita, acredita que a interação seja um diferencial ao comparar as aulas presenciais e on-line. “Mesmo tendo espaço para perguntas e interações, muitas vezes a maior parte dos alunos ficava com as câmeras fechadas e eu não conseguia ter uma ideia se o conteúdo estava interessante e compreensível. Então durante as aulas eu constantemente perguntava o que estavam achando, se estava falando rápido, se a aula estava sendo didática”, relembra.

Segundo o pesquisador José Carlos Antonio, especialista no uso de novas tecnologias e dinâmicas na educação, na aula à distância não há uma receita pronta para seguir. “As soluções que vocês (educadores voluntários) estão encontrando são soluções inovadoras dentro dos paradigmas que tínhamos antigamente. Aquela ideia de que somente as aulas presenciais poderiam ser boas estão se mostrando erradas, porque a gente está conseguindo ensinar de maneira remota”, afirma. Para o pesquisador, há três pilares que suportam uma boa educação à distância: boa comunicação, conteúdo relevante e estratégias eficazes.

Essas estratégias, no entanto, variam de acordo com a empresa e a realidade dos alunos. De acordo com Emilin, nem todos os jovens da Schaeffler têm acesso a câmeras, como webcam, para participar ativamente das aulas. Entretanto, conseguiu criar um ambiente de estudos agradável. Enquanto os alunos realizam atividades, Emilin coloca músicas para melhorar a concentração, já que muitas vezes os jovens não têm um ambiente adequado e silencioso para acompanhar as aulas.

Aula on-line na Schaeffler. Nem todos os alunos têm acesso a câmeras para participar das aulas (Foto: arquivo pessoal)

Na Santos Brasil, Mayara conta que o maior diferencial é o estímulo da troca. “A melhor forma que encontrei para conseguir engajamento era interagindo constantemente com eles, além de preparar aulas em que eles pudessem participar ativamente, formando grupos de exercícios e debates”, relata. Ao final da sua disciplina, Mayara elaborou um formulário anônimo para entender o que os alunos acharam das suas aulas e quais pontos poderiam melhorar para uma próxima turma. “Eles mesmos se sentiram à vontade para expressar “pessoalmente” suas ideias. Isso me mostrou que foi criado um ambiente confortável e de diálogo para todos”, conta.

Aula remota de Comunicação Oral e Escrita, na Santos Brasil (Foto: arquivo pessoal)

Para José Carlos Antonio, a dica mais valiosa para a educação à distância é a resiliência, que ajuda a enfrentar os problemas da adequação com as novas tecnologias. “Se você já é um coordenador, educador ou aluno do Formare, então você já é uma pessoa muito especial e tem a resiliência necessária para suportar essas dificuldades”, declara. Mesmo remotamente, a maior parte da nossa rede de empresas parceiras continua levando educação profissional de qualidade a jovens de todo o Brasil. Os conteúdos são planejados para atender todos os alunos, que às vezes têm problemas com conexão, falta de ferramentas etc. Acompanhe as redes sociais do Programa Formare, e também das nossas empresas parceiras, para conhecer mais sobre ações no ensino à distância do Programa.

É coordenador ou educador do Formare e perdeu o webinar? Você pode assistir por meio do link recebido ao se inscrever no evento.