Descobrindo a vocação

Desde que saiu do Formare, Talita Ferreira acumula aprendizados que a ajudaram a descobrir seu caminho.

Talita foi aluna Formare em 2006, na Mahle de São Bernardo do Campo/SP. Hoje, ela trabalha com atendimento no Senac e afirma que sua experiência no Formare foi o estopim para seu crescimento, tanto pessoal quanto profissional. “Pelo o Formare ter sido um marco que me trouxe um outro olhar para o mundo e suas relações humanas, automaticamente ele trouxe um olhar mais atento para mim mesma, então, vejo que ele foi o precursor na minha busca pelo autoconhecimento, e agora, junto com outras vivências, me permito viver uma vida com mais propósito. Hoje não vejo mais a minha vida profissional e pessoal separadas, vejo como uma coisa só que me traz experiências de vida e assim vou construindo e reconstruindo quem eu sou e a minha história.”

No âmbito profissional, Talita viveu experiências muito ricas. “Eu vi que a vida pode nos preparar muito mais coisas incríveis do que podemos imaginar.” Ela foi Técnica Plástica na indústria e viajou para a Austrália, onde o contato com outras culturas foi engrandecedor. Ao voltar para o Brasil, percebeu que sua vocação era lidar com o público e conhecer histórias diferentes da sua. “Sentia cada vez mais vontade de estar em um trabalho que contribuísse diretamente para um mundo melhor e encontrei isso na educação. Hoje trabalho no atendimento do Senac, sabendo que o produto final do meu trabalho traz conhecimento, estudo licenciatura em Biologia e promovo rodas de conversa sobre consumo consciente e difusão de alimentos agroecológicos.”

Talita conta que entre as coisas que guarda da época do Formare estão a disciplina, o comprometimento, aprender a lidar com as diferenças e com as responsabilidades do dia a dia. Ela também lembra que foi durante o curso na Mahle que viu sua relação com os estudos mudar. “Tive a chance de estudar algumas matérias que temos na escola, como português e matemática, mas com uma abordagem diferente e ainda aplicávamos no ambiente profissional”, e conclui que as oportunidades do Formare ajudaram a desenvolver sua autonomia nos estudos.

Além de aluna, Talita também foi Educadora Voluntária, em outra unidade Formare, período que a jovem considera com muito carinho: “Fazer parte do Formare novamente, seis anos mais tarde, agora estando do “outro lado”, foi incrível e desafiador, ainda mais porque fui Educadora em uma empresa da hotelaria, ramo completamente diferente daquele em que fiz o curso. A realidade ali era outra, mas a essência do curso e os anseios dos jovens não eram tão diferentes assim. Por isso, foi uma baita responsabilidade, eu sabia da grandiosidade daquele projeto nas nossas vidas e sabia também o quanto um educador, com sua experiência e história, podia ampliar a visão de mundo dos alunos.”

Lembrando-se do tanto que aprendeu, Talita deixa uma mensagem para os jovens que estão no Formare hoje: “Aproveitem essa oportunidade para abrir a mente, irem além do que os olhos veem. Absorvam! As melhores experiências e os grandes aprendizados estão nas relações com os colegas de sala, com os Educadores e com a vida.”

 

Quer ser um Jovem Formare?