Evasão escolar foi tema de Projetos Integradores no Formare Bosch

A diminuição da evasão escolar foi tema de dois Projetos Integradores de alunos no Formare da Bosch, em Curitiba/PR.

O Projeto Integrador, mais do que uma Unidade Curricular do Formare, é uma oportunidade para participar de ação criativa e transformadora, identificando problemas ou oportunidades reais e colocando em prática as competências desenvolvidas ao longo da formação. No Projeto Integrador, os alunos se juntam em grupos de trabalho para refletir, avaliar, levantar dados e hipóteses, identificar recursos e definir cronograma de ações para realizarem o projeto a partir de um problema real. Ao fim do processo, a turma apresenta à liderança uma possível solução que gerará resultados positivos.

Os projetos “Tamo Junto Nessa” e o “ForMét” foram duas iniciativas propostas pelos alunos da Bosch, em Curitiba. Ambos os projetos partiram de uma motivação em comum: combater a evasão escolar.

A partir da coleta de depoimentos de alunos que desistiram da escola, além de estatísticas e notícias sobre abandono dos estudos, a proposta do projeto “Tamo Junto Nessa” é promover encontros trimestrais entre estudantes de Ensino Médio, em parceria com o Instituto Robert Bosch, visando a criação de uma rede de apoio e partilha de experiências, para fortalecer a experiência estudantil. Com o objetivo de prototipar e validar o projeto, o grupo realizou um primeiro encontro com jovens de diferentes escolas. As atividades incluíram trocas de histórias pessoais, canvas do propósito (investigação dos pontos fortes e habilidades de cada um), visita guiada pela fábrica da Bosch e almoço integrado.

O projeto “ForMét” também abordou a permanência escolar, mas com foco na participação e no interesse do aluno pela escola. O projeto dialogou com um dos colégios da região – a Escola Estadual Arlindo Carvalho de Amorim – para estudar a implementação de métodos de ensino que acompanhem diferentes ritmos de aprendizagem e estimulem a participação das turmas. O projeto foi aplicado em uma turma de sexto ano do Ensino Fundamental, sugerindo aos professores uma nova a maneira de pensar em relação a aplicações das aulas. O objetivo era evitar o desinteresse pela escola.